preloaderlogo please wait
blog-img

Inovação é destaque em experiências exitosas de Pesquisa

 Caminhos para a criação de uma cultura permanente de inovação no dia a dia dos Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia foi o tema central de debate durante a Mostra de Experiências Exitosas, na área de Pesquisa, realizada nesta quarta e quinta-feira, 12 e 13 de setembro, dentro da programação da 42ª Reunião Anual dos Dirigentes das Instituições Federais de Educação Profissional e Tecnológica (Reditec), que este ano está sendo sediada pelo Instituto Federal Fluminense (IFF), em Búzios-RJ. 

 Um dos pontos altos da mostra foi o trabalho "Inovação no IFPB Campus João Pessoa, uma experiência de sucesso", apresentado pelo professor Robério Paredes, que detalhou como a Instituição vem despontando no registro de patentes, de programas de computador e de marcas no Estado da Paraíba. Um relatório divulgado, em junho deste ano, pelo Instituto Nacional da Propriedade Intelectual (INPI), mostra o IFPB como primeiro colocado da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica, no ranking dos maiores depositantes de patentes brasileiras.

 "Inovar é um desafio e não é nem um pouco fácil, pois essa é uma cultura que deve ser criada passo a passo. Nossas ações, apesar de relevantes, ainda são embrionárias. Temos um longo caminho a percorrer", disse o professor Robério, que apresentou o trabalho como representante da autora principal, Maria Margareth Rocha. 

 No IFPB, a cultura de inovação ganhou fôlego com a criação do Núcleo de Inovação, em 2014, e uma série de eventos, cursos e palestras para disseminar o conhecimento sobre o tema e estimular novos projetos. Hoje, o Campus João Pessoa realiza anualmente mostras de produtos e processos, olimpíadas de robótica e de rede de computadores e maratonas de programação que envolvem alunos e servidores.

 A busca pelo "fazer diferente", no dia a dia da Instituição, também deu o tom nas apresentações de duas Experiência Exitosas do Campus Itaperuna, do Instituto Federal Fluminense. "Inclusão digital para todas as idades: desafios e oportunidades no interior do Estado do Rio de Janeiro" mostrou como a Tecnoteca, um espaço diferenciado de ensino do campus, equipado em tablets, projetor interativo, TV 3D e mesas redondas, entre diversos outros recursos, tem sido usado para disseminar conhecimento na região, por meio de uma série de oficinas voltadas para alunos e professores da rede pública de ensino, além de idosos e estudantes da própria Instituição.

 O projeto teve início em 2015 e, desde então, 3.295 crianças, jovens e adultos participaram das oficinas, em que jogos, simuladores, hologramas, objetos de realidade virtual e aumentada, entre diversos outros recursos com conteúdo educacional e que podem ser acessados gratuitamente pela internet, são usados para estimular a troca de conhecimento e a aplicação de novas metodologias de ensino.

 "A Tecnoteca é uma sala de aula com vários elementos tecnológicos, num espaço que usamos para inclusão, tanto no sentido de que nossos alunos tenham acesso às novas tecnologias e possam utilizá-las no dia a dia do ensino, quanto para compartilhar com a comunidade, dividindo os recursos que temos em nosso Instituto com as escolas públicas e atuando como capacitadores de professores para o uso dessas metodologias diferenciadas", ressalta a coordenadora do projeto Michelle Maria Freitas Neto, diretora-geral do Campus Itaperuna. 

 O IFF Itaperuna teve ainda o trabalho "Sistema de Controle por RFId: uma ferramenta de apoio à gestão pedagógica e administrativa" escolhido como Experiência Exitosa da Rede Federal. A apresentação foi feita pelo professor Pedro Henrique Dágola, que destacou a simplicidade da solução que teve seu sistema construído no próprio IFF Itaperuna e que hoje é usada como um importante instrumento de controle de frequência de alunos, distribuição e contagem de estoque de merenda, registro de uso de computadores do micródromo e de impressão gratuita nas fotocopiadoras do campus.

 Também do IFF, mas dessa vez do Campus Cabo Frio, o trabalho "Caravana da Ciência" teve sua apresentação muito elogiada pelos participantes da mostra. O projeto, do professor Manildo de Oliveira tem o objetivo de disseminar o interesse pela Ciência, por meio de atividades que estimulam escolas públicas de Ensino Fundamental a promoverem suas próprias olimpíadas de conhecimentos.

 "No mundo, os que produzem a tecnologia estão sempre à frente. Por isso, é papel da Educação estimular o senso crítico e o desenvolvimento da criatividade, porque sem criatividade não há inovação", afirma o professor, que diz se emocionar com o contato proporcionado com os alunos da Rede Municipal: "Vemos muitos alunos vibrando por ver, pela primeira vez, um microscópio. Uma vez, um menino pediu meu jaleco emprestado e, ao vestir, disse que se sentia um grande cientista. Eu chorei nesse dia".

 A mostra de Experiências Exitosas em Pesquisa teve ainda a apresentação dos seguintes trabalhos:


- GENIUSCON: Educação empreendedora e desenvolvimento, de Rodolfo Fiorucci (IFPR)

- A Rede Federal e a internacionalização através do Encontro das Escolas de Gastronomia Passos, de Lisandra Lavoura Carvalho Passos (IFG)

- DIMP – Laboratório de pesquisa aplicada alia ciência e tecnologia à educação, de Mack Léo Pedroso (IFSul-riograndense)

- I Café com Empresas, ação entre Instituto Federal e Empresas locais para solução de problemas, de Vanessa Aparecida Ferreira (IFSudeste-MG)

- Projeto de implantação de inovação tecnológica como componente curricular interdisciplinar no curso de pós-graduação lato sensu em Gestão de Negócios do Instituto Federal Catarinense, Campus Camboriú, de Gerson Carlos Saiss (IFC)

- Fomento a projetos cooperativos de pesquisa, extensão e inovação: um incentivo à  aproximação com os arranjos produtivos, sociais e culturais locais, de Flávia Couto Ruback Rodrigues (IFSMG)

- O Desafio Solar Brasil como Projeto Integrador, de Pedro Henrique Dias de Araújo (IFFluminense)

- Grupo de Relações Internacionais do IFMG – GRIIF, de Maria Virginia Maciel Jordana (IFMG)

- Programa de Integração da Pesquisa e Extensão ao Ensino no Câmpus Florianópolis, Clovis Antonio Petry (IFSC)

- Alternativas para estruturação de um sistema de gestão da inovação do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Espírito Santo - Estudo de caso da AGIFES, de Bruno Feres Bichara Peixoto, do IFES.

- Educação Profissional, Extensão Tecnológica e Iniciação Científica num só espaço: a experiência exitosa do Sistema de Gestão do Laboratório de Ensaios Mecânicos e Metalográficos do IFC Campus Luzerna, de Eduardo Butzen (IFC)

- Projeto integrador: uma proposta transdisciplinar de aprendizagem baseada em problemas, de Nágila Cristina Hinckel (IFC) 
 

Texto: Ana Paula Viana (IFF)

Foto: Alexandre Willian (IFF)

Acompanhe a Reditec 2018 pelo FacebookInstagram e pelo canal do IFFluminense no Youtube, o IFF Tube.

As fotos do evento podem ser acessadas AQUI